comprometimento cognitivo no parkinson.

Quedas: Fatores de Risco Inerentes ao Organismo.

em Fisioterapia por

Sabemos que levar um tombo é um acidente bastante importante para idosos. Cair dentro de casa é a maior causa de morte acidental de pessoas com 65 anos ou mais. Por isso, abordamos o assunto periodicamente.

Hoje, vamos destacar os principais fatores de risco internos de sofrer uma queda.

  1. Desequilíbrio e fraqueza muscular. Com o processo de envelhecimento, ocorre uma diminuição da força muscular global e do equilíbrio no organismo do idoso. Essa redução de força pode ocasionar fraqueza muscular podendo gerar fragilidade óssea. Assim, aumenta o risco de cair e provocar lesões, como traumas e fraturas.
  2. Alterações visuais. Com o passar dos anos, a visão sofre algumas mudanças. Tais como: dificuldade de focar, enxergar buracos, degraus e pequenos obstáculos no chão (principalmente em lugares com pouca iluminação), diferencias cores, ler um livro ou nome de ônibus.
  3. Alterações nos pés. Os pés são importantes para o nosso equilíbrio. Mas, a redução da sensibilidade ou deformidades como “joanetes”, unhas encravadas, calos ou pés doloridos alteram o ato de caminhar comprometendo o equilíbrio e podendo aumentar as chances de quedas. Até mesmo uma unha comprida pode mudar o modo como pisamos e descarregamos o peso do corpo nos pés. E, com isso, aumentar o risco de queda.
  4. Doenças crônicas. O aumento da expectativa de vida e a melhoria das condições de saúde proporcionaram o crescimento da população com mais de 60 anos. Consequentemente, o aumento de doenças crônicas que podem predispor a ocorrência de quedas. As doenças mais prevalentes e incapacitantes no idoso são: osteoporose, depressão ou ansiedade, doenças cognitivas (demências), doenças cardíacas e neurológicas.
  5. Uso inadequado de remédios. Os medicamentos quando usados de forma irregular ou quando esquecidos de tomar, podem provocar várias alterações orgânicas, como: diminuição da atenção, fraqueza muscular, cansaço, tontura, arritmia, alteração do nível de açúcar no sangue. Existem medicamentos que podem alterar o equilíbrio, portanto, o uso de três ou mais remédios “podem” ser um risco para quedas, por isso a importância de sempre consultar um médio antes da ingestão de qualquer medicamento.

Referência: Manual de prevenção de quedas- Saúde do Idoso- Secretaria de Estado da Saúde- SP.

Jéssica Maria Ribeiro Bacha é Fisioterapeuta, pós-graduada em Gerontologia e Mestre em Ciências pelo programa Ciências da Reabilitação da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Realiza pesquisas sobre reabilitação do controle postural de idosos por meio da fisioterapia convencional e de novos recursos como a realidade virtual. Realiza atendimentos em domicílio.

11 Comments

  1. Dra Jessica gostei da reportagem muito obrigado. Vou completar 82 em abril próximo. Comecei prática de alongamento na prefeitura mais ou menos 10 meses , 2 vezes por semana Essa prática ajuda na manutenção do meu equilíbrio?

    prática

  2. É realmente interessante as ponderações sobre fatores que podem interferir na saúde dos
    idosos, tais como o acúmulo de medicamentos ingeridos, baixa da massa muscula
    o para o campo curativo,quando poderia ser numa fase de precaução.
    Além de trazer uma qualidade de vida mais saudável, o custo do cuidado com a saúde seria muito menor. Serve essa colocação mesmo para o serviço público de saúde, que resultaria beneficio para todos.

  3. Muito interessante os estudos que apontam as causas de quedas que acontecem em um número preocupante em idosos. É sempre bom haver um diálogo entre o profissional e o paciente, enfatizando o histórico por parte do paciente, buscando assim o diagnóstico e posteriormente concluindo o tratamento correto.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*