variação da composição corporal na terceira idade

Alterações da Composição Corporal no Envelhecimento

em Saúde por

A composição corporal sofre mudanças significativas na velhice. Acontece uma variação negativa na massa livre de gordura (MLG) e variação positiva na massa gorda (MG). Ou seja, perde-se massa muscular e se ganha gordura.

As alterações fisiológicas na MLG referem-se principalmente à redução da massa muscular (MM) combinada com a diminuição da massa óssea (MO) e com a diminuição da água corporal. Assim, a nossa composição corporal durante o envelhecimento tente a resultar em menor força física.

Mas, a distribuição do tecido adiposo (massa gorda MG) também sofre alterações. A massa gorda (MG) do tecido subcutâneo apresenta diminuição de forma expressiva com o avanço da idade quando comparada a gordura na região visceral.

Sabe-se que há um aumento progressivo de massa muscular nas primeiras décadas da nossa vida. De maneira que nossa composição corporal atinge sua melhor forma aos 40 anos. Após esta idade, constata-se uma diminuição de massa magra e massa óssea. No entanto, não há um consenso sobre a magnitude e a taxa média de declínio da MLG normal.

A variação negativa da MLG tem sido atribuída principalmente ao componente muscular. Assim, no indivíduo adulto o tecido muscular equivale a 40% do peso corporal. Já no idoso, chega a 30%.

Em ambos os sexos um declínio na MG torna-se detectável a partir dos 45 anos. Mas, o sexo masculino dispõe de uma média maior de MM comparado ao feminino. Entretanto, os homens apresentam maior velocidade de perda desse tecido durante o envelhecimento.

Após a 5ª década da vida, a MM declina a uma taxa anual de aproximadamente 1 a 2%. A redução da MM apresenta-se correlacionada com diminuição da força muscular. Após os 60 anos a taxa desta perda é de até 3% ao ano. Esses índices de variação da composição corporal são mais elevados em indivíduos sedentários quando comparados aos ativos, sendo duas vezes maior em homens em comparação com as mulheres.

A Massa Óssea (MO) aumenta sua densidade até a 3ª década. Em seguida, há uma progressiva redução. O conteúdo de variação do compartimento esquelético é semelhante em homens e mulheres até os 50 anos de idade. Porém após a menopausa, a diminuição da quantidade da MO torna-se mais rápida em mulheres. Por volta dos 70 anos a taxa de perda óssea aumenta expressivamente tanto em homens quanto em mulheres. 

Em relação ao tecido adiposo, observa-se aumento progressivo durante a vida adulta de forma semelhante em ambos os gêneros até a 7ª década da vida. A partir dos 70 anos, tende a declinar.

Sabendo que o declínio de massa e força muscular pode ser perigoso e levar a um quadro de Sarcopenia ou, até mesmo, a um quadro de Síndrome da Fragilidade, recomenda-se o hábito de exercitar-se regularmente e manter uma alimentação saudável.

 

Photo by Abbas Malek Hosseini on Unsplash

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*