idoso com melhor qualidade de vida na DA

Como Tratar os Delírios e Melhorar a Qualidade de Vida na DA

em Demências e Alzheimer por

O paciente com doença de Alzheimer que apresenta psicose tem uma qualidade de vida na DA pior que aqueles que não apresentam psicose. Um dos motivos é que a psicose deixa estes pacientes frequentemente tensos, ansiosos, irritadiços e, muitas vezes, agressivos. Eles não têm consciência de que os fatos não estão acontecendo na realidade. Acreditam que estão sendo enganados por um farsário, roubados, traídos.

Um caso típico, é o de interação com a TV. Acreditam que as pessoas da TV estão realmente presentes e tentam conversar com ela. Pode acontecer uma discussão do paciente com a TV, que leva a um quadro de agitação e ansiedade. Quando falamos de delírio de roubo, o portador de DA passa a hostilizar a pessoa que ele acha que está o roubando.

A qualidade de vida na DA é muito prejudicada pois o paciente não consegue ficar em paz.

O tratamento deve ser medicamentoso e cabe ao médico decidir sobre a melhor droga a ser utilizada. Normalmente, usa-se neurolépticos ou antipsicóticos com boa evolução do quadro. A abordagem não medicamentosa tem se mostrado pouquíssimo eficiente com relação aos sintomas psicóticos.

Quando percebemos que o portador de Alzheimer está tendo um delírio, a primeira coisa a fazer é não se ofender. Mantenha a calma. Não discuta nem tente convencer o paciente que ele está errado. Pelo contrário. Tente entender a realidade que ele acha que está vivendo e demonstre sua compaixão. Em seguida, avise o médico.

Veja aqui a diferença entre alucinação e delírio e como reagir quando acontecem.

Em caso de delírio de roubo, uma idéia é ter várias unidades do objeto mais comum no delírio. Por exemplo, se um idoso acha que alguém roubou sua carteira, tenha 3 ou 4 exemplares iguais da carteira em casa. Assim, fica fácil mostrar que o objeto não foi roubado. Tente mudar de atividade o mais rápido possível. Mude o foco da conversa. Por exemplo: em caso de discussão com a TV, tire o paciente do local em que a TV esteja ligada e abaixe o volume ou desligue a televisão. Convide-o para uma caminhada.

Mas, de qualquer forma, o médico deve ser avisado para iniciar um tratamento medicamentoso ou melhorar o que já está sendo feito.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*