terceira idade com BPSD

BPSD: Sintomas Psicológicos Comportamentais nas Demências.

em Demências e Alzheimer por

Em 1996, na Conferência Internacional sobre Consenso dos Distúrbios do Comportamento na Demência, foi criado o termo BPSD. Os Sintomas Psicológicos e de Comportamento nas Demências (BPSD – Behavioural and Psychological Symptoms of Dementia), foi criado para se referir a um grupo heterogêneo de reações psicológicas, psiquiátricas e comportamentais anômalas que surgem em pacientes com demência.

Estima-se que 60% a 80% dos pacientes com demência apresentem BPSD.

As BPSDs podem ser agrupadas em três síndromes distintas:

  • Síndrome Psicótica: delírios e alucinações.
  • Síndrome Emocional: agitação, irritabilidade, depressão e ansiedade.
  • Síndrome Comportamental: euforia, desinibição, apatia e comportamento motor aberrante.

Atualmente, a Doença de Alzheimer é a doença demencial mais importante no mundo. É a principal causa de demência e um dos maiores desafios da área da saúde no século XXI. Em dezembro de 2013, o G8 (grupo dos 8 países mais relevantes economicamente no mundo) declarou que a meta de cura ou terapia modificadora da demência devem ser colocados como prioridade global até 2025.

Estima-se que 40 milhões de pessoas, a grande maioria com mais de 60 anos, têm demência no mundo. E este número tende a dobrar a cada 20 anos. A prevalência da demência aumenta de forma significativamente maior em países em desenvolvimento, como o Brasil, se comparada aos números da Europa Ocidental e Estados Unidos.

As principais características da BPSD são: agitação, psicose com delirios e/ou alucinações, depressão, apatia e transtornos do sono. Estes são os sintomas encontrados com maior freqüência, especialmente em pacientes com Doença de Alzheimer. Há evidências de que a psicose é um marcador para um maior comprometimento cognitivo. Acredita-se que seja um fenótipo da doença de Alzheimer de deterioração cognitiva mais acelerada.

Os sintomas neuro-psiquiátricos (BPSD) causam prejuízos à qualidade de vida do paciente e seu cuidador. Contribuem fortemente para a dependência funcional e institucionalização do idoso. Doentes com DA e psicose (DA + P) apresentama mais emaranhados neurofibrilares no neocórtex. Apresentam um quadro pior de cognição desde do início da patologia quando comparamos com pacientes com DA mas sem psicose. Este pacientes experimentam um declínio cognitivo mais rápido e maior dependência do cuidador.

6 Comments

  1. Meu pai tem 79 anos foi diagnosticado com demência,No início fiquei muito assustada pq cuido dele sozinha… atualmente ,graças à DEUS estou aprendendo e tirando de letra!!!Sempre estou inovando e me informando em pesquisa…Gosto muito de gerontologia…Trabalhar cm vidas é muito importante!!!

  2. Estou sem saber o que fazer.minha mãe tem Alzheimer e Parkinson já há 9 anos,e agora a demência dela está muito forte,, alimentos pastoso ou líquido ela está com muita dificuldade ou quase nenhuma pra engolir
    O que eu faço
    A imunidade dela é muito baixa

  3. Minha mãe foi diagnosticada há 2 anos . Somos 3 filhos e apenas eu e um irmão aceitamos o Alzheimer. Não moro com ela,mas estou sempre por lá
    Ela mora justamente com o q não aceita, ou nao acredita. Minha mãe ainda é independente em muitas coisas. É uma pessoa sem instrução e por motivo, fica muito difícil lidar, ajudar. Ela sempre foi mandona e tudo tinha q ser do seu jeito e essa parte piorou. Hj, todos a furtam, mentem ou são as piores pessoas do mundo. Sou divorciada e tenho um filho com Down. Moro numa casa própria e com filha, genro e neto. Mas só dividimos na casa a cozinha. Cada um tem seu espaço, porém é uma vila de escadaria, e é inviável pra ela. ( nem tanto, pois não haverá necessidade de subir e descer a toda hora oi dia). Então resolvi procurar uma casa bem próximo a minha ( já q é própria), decidi q vou morar com ela. Esse meu irmão está encostando por invalidez e ainda pensiona 2 filhas menores. Minha mãe q custeia tudo sozinha (aluguel, luz, alimentação). Como eu tb divido impostos e alimentação aqui em casa. Decidi q posso fazer o mesmo na casa da minha mãe. Só q eu acho q a alimentação e luz teria q ser dividido entre eu e meu irmão, E Minha mãe apenas com o aluguel. E ainda, tem o cuidador pra pagar futuramente. Pois nem eu e nem meu irmão aguentaremos sozinhos. E por isso precisamos guardar algum dinheiro dela. Minha mãe não quer tomar a medicação, está sem paladar e sem olfato. Meu irmão não quer q more junto, pois perderá as mordomias . Como meu filho tb não ainda bem de saúde, e não posso deixá lo sozinho. Estou sem saber o q fazer. Eu estando com ela, creio q muita coisa era melhorar, tipo vai tomar medicação, vai se alimentar direito ( está pele e osso), enfim…

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo