espiritualidade e sofrimento

Estudos sobre a relação entre Espiritualidade e Saúde

em Saúde por

Em muitos casos, a espiritualidade é encarada como um proteção contra os sentimentos negativos que a doença terminal pode provocar.

As relações entre espiritualidade e saúde física têm se tornando um tema de interesse entre diversos pesquisadores. E, embora possam ser pensados no mesmo contexto, espiritualidade e religiosidade não são sinônimos.

Espiritualidade pode ser considerada como parte de uma atitude de um indivíduo. Seja na busca por significados ou em pensamentos que podem fortalecer o enfrentamento de sofrimentos. Já a religiosidade envolve a sistematização de cultos e doutrinas compartilhadas por um grupo.

Em um estudo realizado em 2010 com 323 pacientes que receberam diagnóstico de câncer, verificaram que 79,3% relataram estarem sendo apoiados principalmente por suas crenças espirituais e pela fé, como meios de enfrentamento da doença.

O sentido de morte traz para as pessoas de cultura ocidental sentimentos de dor. Principalmente para os familiares e amigos que ficam e vivenciam todo o sofrimento após a morte. Dentre os sentimentos que abarcam o sofrimento, estão os sentimentos de dor, saudade e incorformismo. A saudade é interpretada como sofrimento pela perda. Em um estudo recente, artigo intitulado “Meanings about Death for Caregivers”, verificou-se que a morte iminente gera grande sofrimento para os familiares e cuidadores de pacientes com doença terminal. Este estudo mostrou que a estratégia de enfrentamento para esse sofrimento é a crença e a fé em Deus (ou ser superior) surgindo como sistemas de conforto. Acreditar que a vida continua após a morte do corpo parece trazer conforto, por meio do enfrentamento ao sofrimento.

Em estudos sobre a crença em uma divindade, verificou-se que 95% dos entrevistados acreditam em um ser superior. A religiosidade é uma prática de um grupo, que acreditam nas mesmas ideologias e se reúnem para praticar essa crença. A religião e a espiritualidade não são sinônimos, mas ambos construtos auxiliam a diminuição do estresse e sofrimento causado pela morte.

A morte é um processo natural da vida e está intimamente relacionado a busca de seu significado. A espiritualidade é a maneira como o homem entra em contato com o pensamento, de onde venho e para onde vamos, sendo uma prática milenar e que agora vem ganhando força na área científica. De acordo com Boff (2003) a compreensão do significado da vida está embasada em uma tríade teórica: matéria (corpo), consciência (mente/ pensamento) e espírito.

Sugestões para suportar a terminalidade

  1. Tanto paciente quanto familiares devem se permitir expressar suas emoções. Ficar quieto e guardar o sofrimento pode gerar angústia, depressão e melancolia.
  2. Busque uma crença, em qualquer religião. Encontre a que melhor você se encaixa.
  3. Orações, preces e rezas são formas de alívio de sofrimento.
  4. Encare a morte como um processo natural e não como uma falha: afinal, é a única certeza da vida.
  5. Fiquem atentos para os sinais de exaustão, perda de apetite, falta de sono, corpo sem energia: são sinais que precisam ser levados a sério. Procure um médico neste caso. Conheça o trabalho da equipe de cuidados paliativos.
  6. Pratique atividade física: caminhadas ou atividades em grupos ajudam a liberar angústias.
  7. Não fiquem sozinhos, não afaste os amigos.
  8. Cuide de si primeiro: você só irá cuidar bem do outro se você estiver bem com você.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo