Retinopatia é comum em idosos diabéticos e pode ser prevenida.

Diabetes e a Visão – Retinopatia Diabética

em Saúde por

A Retinopatia Diabética é uma das complicações mais comuns em pessoas diabéticas. Por isso, é de extrema importância que o paciente diabético faça, dentre outros controles, o controle oftalmológico periodicamente. Ou seja, é fortemente recomendado pela comunidade médica que pessoas diabéticas consultem um oculista a cada 6 meses.

Pois Retinopatia Diabética pode levar à cegueira.

O Diabetes causa alterações nos vasos sanguíneos que podem resultar em problemas de circulação. Quando estes problemas acometem a retina, podem levar inclusive à cegueira.

Explicando: a Retinopatia Diabética é uma afecção da retina (membrana interna nos olhos com células capazes de captar luz) que diminui a capacidade visual do paciente. A depender dos subtipos, pode se manifestar de maneira mais rápida. Chega a causar perdas visuais súbitas por conta de sangramentos na retina. É uma doença caracterizada por alterações dos vasos sanguíneos dos olhos provocadas pelo Diabetes mal controlado. À medida que a doença progride sem ou com pouco controle, vasos sangüíneos frágeis crescem na superfície da retina. Esses vasos podem se romper, liberando sangue no humor vítreo (líquido gelatinoso e transparente que preenche os espaço entre a retina e o cristalino, dentro dos olhos). Ou descolar a retina. Passando algum tempo, isso leva a distúrbios graves da visão, podendo chegar à cegueira.

A Retinopatia Diabética conta com o maior risco de perda de visão permanente dentre as doenças oculares mais comuns.

Para prevenir este problema, é necessário que haja acompanhamento médico. O controle da glicose no sangue é de suma importância. Se houver um histórico de Diabetes na família é recomendável que todos os familiares se submetam a um exame regular. Isto é, pelo menos uma vez por ano. O objetivo é detectar os primeiros sintomas de Diabetes e poder iniciar um tratamento. Saiba também como hábitos alimentares podem ajudar.

Exercícios físicos podem ajudar a controlar o diabetes e a prevenir a retinopatia. Mas quem já desenvolveu a retinopatia diabética, deve tomar alguns cuidados na hora de se exercitar.

Por ser uma doença de início lento, os sintomas da retinopatia diabética podem demorar um pouco para serem notados.

Os sintomas podem começar com pontos, pequenas manchas ou pequenos fios flutuando na visão. Evoluem para uma visão levemente turva. Está tudo bem e, de repente, a visão escurece. Aparecem áreas escuras no campo de visão e maior dificuldade em enxergar à noite. Quando é detectada, na maioria das vezes, acontece muito tarde. Sendo assim o paciente só percebe o fato num estágio bastante avançado. Desta maneira, a visão já está gravemente afetada. Por isso, a importância de manter uma visita periódica ao oftalmologista.

Para se fazer o diagnóstico, o médico deve realizar um exame de fundo de olho. E em caso de suspeita outros exames são solicitados para avaliar com mais “profundidade”.

O tratamento depende do estágio da retinopatia. Em estágio inicial, é possível evitar a formação de novos vasos sanguíneos na retina através de um tratamento a raios laser. Também podem ser necessárias injeções intra-vítreas (nos olhos). Quanto mais cedo se detecta as alterações na retina, melhor e menos invasivo será o tratamento a laser. Mas, se tiver avançado muito e ocorrido hemorragias e descolamentos da retina é imprescindível realizar uma cirurgia mais extensa para prevenir uma perda irreversível da visão no olho afetado ou até mesmo em ambos os olhos.

Portanto, para um diabético, é extremamente importante um exame regular pelo oftalmologista assim como controlar corretamente a glicose no sangue. Comunique ao seu médico imediatamente em caso de qualquer alteração em sua visão.

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo