idoso com DA sob Terapia Comportamental

Terapia Comportamental para o portador de DA

em Demências e Alzheimer por

Já sabemos que os portadores de Doença de Alzheimer apresentam uma ampla variedade de transtornos comportamentais. Abordagens não farmacológicas para estes problemas, podem ajudar a resolvê-los. Idealmente, deve-se tentar a Terapia Comportamental antes de tentar controlar os desvios de comportamento com remédios.

A Terapia Comportamental consiste em prestar atenção nos eventos ambientais antecedentes para explicar o que a pessoa está fazendo. Tenta resolver o problema, ou seja, alterar o comportamento, através de uma abordagem ativa.

Num sentido mais amplo, podemos pedir ajuda a 2 profissionais: o psicólogo ou o terapeuta ocupacional.

Em caso de tristeza, pode-se incluir atividades simples e encorajadoras que promovam o sucesso e o senso de utilidade. Estamos falando de cuidar das plantas, ajudar na cozinha, etc. Lembrando que, em todos os casos, deve-se respeitar e incentivar as capacidades preservadas.

Quando o mau humor impera, pode-se organizar reuniões sociais e visitas de pessoas queridas. Estimular atividades como uma caminhada ou passeio no jardim também podem ajudar.

Problemas na hora de dormir, podem ser mais problemáticas. Manter o paciente ativo durante o dia com diversas atividades e exercícios pode melhorar a situação. Evitar cochilos pode minimizar a insônia. Incentivar o portador de DA usar o banheiro logo antes de se deitar pode evitar que se levante para ir ao banheiro durante a noite e não volte a dormir. Utilizar um abajour ou outro meio de iluminação pode ajudar a diminuir o risco de agitação noturna à medida que ajuda o idoso a se localizar.

A perambulação (andar sem parar) pode acontecer em decorrência da falta de descanso, confusão mental, tédio ou necessidade de exercícios. O ideal é incluir na rotina alguma atividade de consumo de energia, como uma caminhada ou aulas de dança, por exemplo.

Portanto, quando os comportamentos começarem a mudar, tente entender as possíveis causas da mudança. Pode ser uma dor física não expressada, um filme que trouxe memórias profundas, etc.

Se a situação evoluir para agitação exagerada, delírio, alucinações e agressividade, procure um médico imediatamente.

 

 

1 Comment

  1. Excelente dicas!
    Estar sempre atento com essas atividades.
    Tive uma experiencia minha paciente, e apenas inicial Alzheimer, mas ela te e crise de agitação após ouvir músicas de Natal. Aí fui verificar o motivo e descobri que eve um trauma nessa data festiva, perdeu seu esposo.
    Dica para cuidadoras, quando iniciarem um trabalho uma ficha de anamnese ´melhor caminho.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*