Depressão em idoso

A Importância do Tratamento da Depressão em Idosos.

em Cabeça por

Calcula-se que a Depressão em Idosos atinja de 3% a 7,5% desta população no Brasil. Considerando que a incidência de Depressão Maior em adultos seja de 1,6% da população em nosso país, entendemos que Depressão em Idosos é um problema que merece atenção dos serviços de saúde e das famílias.

Já sabemos que os sintomas da Depressão em Idosos pode ser diferente dos sintomas em adultos mais jovens. Isso, muitas vezes, confunde a família e os amigos mais próximos. Além disso, a população mais velha possui certo preconceito em relação a esta doença. Desta maneira, muitos idosos nem chegam a procurar um médico. E grande parte dos que procuram, não recebe tratamento adequado.

Estudos indicam que, num período de 2 anos a partir do diagnóstico, um terço dos pacientes idosos diagnosticados com Depressão morrem ou evoluem para um diagnóstico de demência.

Apenas um terço dos pacientes melhora e o últimos terço, mantém o quadro depressivo.

 Os principais fatores que determinam a evolução desfavorável da Depressão em idosos são:

  1. Doença Física – independentemente do momento em que surge (antes do diagnóstico ou durante o tratamento), uma doença física pode interferir no tratamento da depressão em idosos.
  2. Luto – se o idoso perder alguém querido durante o tratamento, deve receber atenção redobrada.
  3. Déficit Cognitivo – idosos com cognição reduzida no início do tratamento de depressão tem risco bastante aumentado de desenvolver demência. Também são os pacientes com mais re-incidências.
  4. Gravidade do Episódio – quanto mais grave o episódio depressivo, menores a chances de cura total.
  5. Tempo de doença sem tratamento ou melhora – quanto maior o tempo sem tratamento, mais reduzido fica o volume do hipocampo e menores são as chances de cura total.
  6. Falta de informações e preconceito do paciente e seus familiares.
  7. Remissão parcial ou uso de doses menores que o necessários – o objetivo do tratamento é a cura total da Depressão. Porém, quando alguns sintomas já melhoram, as pessoas tendem a reduzir os medicamentos.
  8. Interrupção do tratamento antes do tempo – o tempo mínimo de tratamento medicamentoso da depressão varia de 6 a 12 meses. Em grande parte dos casos, o paciente deve continuar a tomar os medicamentos durante anos. Mas, se resolver parar antes do tempo, corre o risco de re-incidência.
  9. Formas de administração da medicação – o ideal é tomar apenas 1 comprimido ao dia.

 

Fonte: Depressão em Idosos – Guia para diagnóstico e conduta. 2015

1 Comment

  1. excelente matéria sobre a depressao em idosos, quanto mais cedo a depressão é diagnosticada, mais chances de recuperação o idoso terá. Parabens!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo