Idosos sentem mais os sintomas da alimentação agressiva

Alimentação Agressiva? Alergia Alimentar? Entenda o que é e como pode afetar sua vida.

em Nutrição por

Ao longo da vida, criamos nosso hábito alimentar. Ele só se modifica se a oferta do alimento muda ou se algo no nosso corpo nos diz que o hábito está nos causando mais mal do que bem.

Uma alimentação agressiva para o nosso corpo pode levar o organismo aos seus limites para lidar com o que não lhe serve. Mas, o que seria uma “alimentação agressiva”?

É aquela composta por itens vistos pelo nosso corpo como um invasor que deve ser combatido. Não é reconhecido como uma fonte de energia e nutriente. Para algumas pessoas, o ingrediente nocivo pode ser a proteína do gluten, presente no trigo e outros cereais. Para outras, pode ser o corante artificial amarelo tartazina.

Não apresenta grandes repercussões fisiológicas como em uma alergia alimentar. A reação discreta do nosso sistema imune ao alimento “invasor” é característica da chamada alergia alimentar sub-clínica. Ela apresenta sintomas ocultos ou subagudos de reação alérgica a algum alimento induzindo inflamação sub-clínica. A alergia alimentar subclínica está relacionada ao desbalanço da microbiota do trato gastrointestinal, ao aumento da permeabilidade intestinal e à ativação do sistema imune. Os sintomas podem:

  • ser cólica abdominal,
  • gases,
  • constipação ou diarreia,
  • dor de cabeça e
  • aumento na produção de catarro, inclusive nas vias aéreas.

Todos sintomas comuns a várias outras afecções.

O melhor é observar nossas reações aos alimentos pois, muitas vezes, as alterações bioquímicas subsequentes não são detectadas pelos exames convencionais de alergia alimentar.

Com o passar dos anos, nosso corpo tende a ser menos resiliente frente às agressões externas. Ele tende a aumentar seus níveis de inflamação com a idade. Isso se relaciona não só com o processo de envelhecimento em si, mas com doenças comuns desta fase, como as do sistema cardiovascular. Algumas dietas já são reconhecidamente benéficas ao bem envelhecer por seu potencial anti-inflamatório.

Para “limpar” a dieta de agentes nocivos, pode-se começar por substituir alimentos processados e ultra-processados (ou seja, alimentos industrializados prontos ou pré-prontos, cheios de aditivos sintéticos) por alimentos in natura (que saíram da natureza diretamente para o seu prato, com o mínimo de intervenção). Como proposto pela nossa atual Pirâmide Alimentar Brasileira, nossa dieta deve ser composta majoritariamente por alimentos frescos, que ofertam os nutrientes preciosos para o bom funcionamento do corpo, como vitaminas, minerais, fibras e antioxidantes. A dieta do Mediterrâneo, por exemplo, atende a esses requisitos, sendo composta por hortaliças, frutas, castanhas, cereais de qualidade, azeite e peixes, ricos em polifenóis, fibras, antioxidantes, magnésio e gorduras protetoras do sistema imune e cardiovascular. Falaremos com mais detalhes dessa dieta no próximo post.

E a melhor notícia: essa dieta traz benefícios em qualquer que seja o momento de vida em que ela for adotada. É sempre tempo de repensarmos nossas escolhas.

Você já sentiu os sintomas da Alimentação Agressiva? Então compartilhe para que outras pessoas também possam conhecer este conceito e melhorar a própria qualidade de vida.

2 Comments

  1. Sei que é uma página de geriatria
    mas eu tenho um bebê de 1 ano que tem esses sintomas: cólica, gases e produção de muco nas vias superiores.

    Ele se alimenta de arroz, legumes, frutas, carnes e leite materno.

    Na escola come melhor que em casa… aqui só quer LM.

    Eu me alimento basicamente da mesma coisa.

    Não comemos leite, derivados, ovos, farinhas (a restrição seria trigo mas não como nenhuma mesmo) e também peixes, frutos do mar, banana, feijão…

    Já vi ele estabilizado com essa dieta então persisto.

    O problema é que em qualquer introdução de novo alimento (geralmente na minha dieta) sinto esses sintomas retornarem e já nas primeiras tentativas já suspendo o consumo porque é muito cansativo e sofrido ver as reações dele.

    As reações são perceptíveis principalmente a noite pq impacta o sono… sempre é mamador mas nesses dias se remexe demais; contorce as perninhas e só sossega no peito.

    Fora isso é um bebê ótimo… bagunceiro, sociável.

    Estou acompanhando com ótimos médicos mas são sintomas muito inespecíficos; relato muitos alimentos que provocam a reação que vocês descreveram e não tenho visto evolução significativa.

    Além da dieta o que pode ser feito para o organismo dele ficar mais resistente?

    Obrigada

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo