bem-estar na terceira idade

O Bem-Estar do Cuidador Familiar – Conceito Objetivo

em Saúde por

Nossa capacidade de ser feliz depende do bem-estar simultâneo do cérebro e do corpo.

Porém, muitas vezes, quando se cuida de um familiar com doença neuro-degenerativa, o bem-estar pode ficar comprometido. Por isso, é importante entender um pouco sobre como “se forma” esta sensação tão importante.

A primeira coisa a saber é que o bem-estar depende do cérebro. Ou seja, mesmo quando o nosso corpo está bem, precisamos estar mentalmente dispostos para atingirmos um estado de bem-estar. Se uma pessoa estiver angustiada, triste ou preocupada, este estado mental positivo não será possível.

O corpo também precisa estar saudável. Mas, o cérebro precisa julgar que a vida mental é rica, agradável e satisfatória para chegarmos ao bem-estar.

Então, assumindo que o cuidador familiar está cuidando bem do próprio corpo através de alimentação saudável e programa de atividades físicas regulares, vamos entender melhor a parte cerebral do bem-estar.

O bem-estar é um conjunto de sensações positivas de satisfação, prazer, motivação, auto-estima, força física, relacionamentos sociais benéficos, independência e controle sobre a própria vida. Em termos científicos, podemos buscar o bem-estar ativamente, através de um conjunto de estruturas cerebrais que formam o sistema de recompensa. E tudo começa com o prazer.

Toda vez que realizamos algo que o cérebro reconhece que deu certo, temos a sensação de prazer. Por exemplo, concluir um trabalho, ouvir uma música ou fazer uma pessoa sorrir são prazeres. Com ele, vem a satisfação e a auto-estima. Com o tempo, nosso cérebro vai aprendendo quais são estas ações que geram prazer. Pois nossa memória vai registrando e relacionando estas ações ao prazer. Quimicamente falando, tudo isso acontece através de um neuro-transmissor chamado Dopamina.

O próximo passo é a motivação. À medida que repetimos um comportamento bem sucedido, o sistema de recompensa passa a ser acionado com descargas de dopamina. Quando nos lembramos de algo que foi bom (ou seja, prazeroso), nosso cérebro libera pequenas quantidades de dopamina, antecipando esta sensação de prazer e nos motivando a buscar por este comportamento novamente.

Assim, a motivação depende do mesmo sistema que gera prazer. Portanto, manter este sistema de recompensa ativado é necessário ao bem-estar.

Desta maneira, fica claro como é importante reservar um tempo todos os dias para si. Por mais difícil que seja o dia-a-dia do cuidador familiar, é necessário reservar meia-hora ou mais para alguma atividade prazeirosa, capaz de contribuir com o bem-estar e, portanto, com a sensação de felicidade.

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo