Idoso toma remédio

3 Combinações Ruins entre Alimento e Remédio. Uma delas é perigosa!

em Geral/Nutrição por

Já explicamos como o remédio que tomamos pode interferir na digestão do alimentos que ingerimos.

Agora, vamos falar um pouco sobre como alguns alimentos afetam a absorção, o metabolismo ou a excreção deste remédio.

1.Alimentos de difícil digestão, por exemplo alimentos muito gordurosos como picanha ou frituras, permanecem por mais tempo no estômago. Se tomamos um medicamento logo antes de comer um pastel ou ir a um churrasco, este medicamento permanecerá mais tempo dentro do estômago. Isso porque o remédio vai fazer parte do “bolo alimentar” formado por estes alimentos de digestão mais lenta. Desta maneira, a tendência é de que:

  • Aumente a absorção da droga por ficar mais tempo reagindo com os ácidos do estômago, ou
  • Diminua a absorção em caso de droga sensível à acidez, “cortando o efeito” do remédio, ou ainda
  • Aumente o efeito terapêutico se for um medicamento próprio para absorção lenta.

2. Ocorre também a reação química, entre algumas classes de medicamentos e alguns nutrientes presentes em nossa alimentação. Em alguns casos, essa reação química modifica a molécula do “princípio ativo” do medicamento. Se isso acontecer, o remédio pode perder completamente seu efeito. O maior exemplo deste caso é a reação entre o Cálcio, presente no leite e seus derivados, com as tetraciclinas (tipo de antibiótico).

Isto é, só devemos tomar leite, iogurte e outros alimentos ricos em cálcio, com mais de 30 minutos antes ou após a ingestão do antibiótico.

3. Uma classe de medicamentos utilizados no tratamento de pacientes com depressão (inibidores da monoaminoxidase), se misturados com alimentos ricos em tiramina (monoamina derivada do aminoácido tirosina) pode provocar uma crise de hipertensão. Em idosos, esta crise pode resultar em AVC (acidente vascular cerebral).

Ou seja, é proibido misturar anti-depressivos com queijos curados, vinho, cerveja, picles e outros alimentos que resultam de processo de fermentação.

Portanto, a fim de evitar estes efeitos adversos em idosos, é importante:

  1. Prestar atenção se o efeito desejado do medicamento está acontecendo.
  2. Ficar atento a efeitos colaterais e comunicar o médico caso apareçam.
  3. Não tomar outros medicamentos para “curar” os efeitos colaterais.
  4. Manter uma alimentação leve e saudável.
  5. Perguntar ao médico sobre as possíveis interações caso você tenha o hábito de ingerir alimentos citados acima.
  6. Seguir corretamente a prescrição médica em relação a horários e interações com as refeições.

Compartilhe nosso texto para ajudar outras pessoas!

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo