Osteoporose e exercícios para Idosos

Osteoporose e Atividade Física – Como começar!

em Exercícios Físicos por

A Osteoporose é uma doença caracterizada pela perda acelerada de massa óssea. Atinge mais mulheres do que homens (75% dos casos são pessoas do sexo feminino) e deixa os ossos frágeis.

A Osteoporose atinge um grande número de idosos, principalmente mulheres após a menopausa.

A densidade óssea em baixos valores pode comprometer a qualidade de vida no processo de envelhecimento com riscos. O principal é o risco de fraturas e quedas. Diversos estudos demonstram como o exercício físico atua positivamente na prevenção e tratamento da doença.

Nas próximas semanas exemplificaremos os exercícios adequados e explicaremos seus efeitos fisiológicos sobre ao aumento da massa óssea. Neste artigo falaremos dos primeiros passos para se inserir num Programa de Atividade Física com segurança.

Para iniciar, o cuidador ou o idoso devem apresentar os exames que diagnosticaram a doença. O Educador Físico deve ler e avaliar os locais em que há redução da massa óssea. Geralmente as regiões mais propensas são os ossos do rádio (antebraço), fêmur (coxa) e coluna lombar. O profissional de Educação Física, posteriormente, deve planejar exercícios específicos e adequados às regiões indicadas no exame além dos exercícios preventivos gerais.

Na anamnese, devem constar também questões sobre fraturas, quedas, medicamentos consumidos, freqüência dos exames de densidade mineral óssea, visualização do histórico dos resultados dos mesmos exames e histórico de osteopenia (perda de cálcio inicial).

Sobre alguns medicamentos indicados para osteoporose, o educador, o próprio idoso e seu cuidador devem estar atentos a efeitos colaterais que podem prejudicar a sessão de exercícios como câimbras, tonturas, dores nas articulações ou falta de ar.

Num outro cenário, se a doença não for do conhecimento do idoso ou cuidador e esse já estiver freqüentando as sessões de Atividade Física, o instrutor deve estar atento a queixas de dores nas regiões principalmente de fêmur, lombar e punhos. Próximo passo seria encaminhá-lo para o ortopedista afim do mesmo solicitar um exame que avalie a densidade mineral óssea.

No próximo artigo explicaremos a relação do exercício com o aumento da massa óssea; como esse efeito ocorre fisiologicamente.

Compartilhe este artigo com pessoas que possam se beneficiar destas informações!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo