Tratamento com farmácos colinérgicos.

Princípios do Tratamento da Doença de Alzheimer

em Demências e Alzheimer por

A Doença de Alzheimer é um tipo de Demência Hipocolinérgica que pode ser tratada com remédios. Vamos abordar quais são os princípios do tratamento com medicamentos.

Primeiramente, vamos tratar sobre Fármacos Colinérgicos.

Demência é a “deterioração da capacidade intelectual, caracterizada por perda progressiva de habilidades cognitivas e emocionais suficientemente graves para interferir na vida diária e qualidade de vida”. Esta perda de capacidade intelectual acontece quando os neurônios localizados numa região específica do cérebro, chamada núcleo basal de Meynert, param de funcionar corretamente.

Ainda não se sabe exatamente o motivo, mas estes neurônios deixam de produzir quantidade suficiente de acetilcolina. A acetilcolina é um neurotransmissor – substância que possibilita as sinapses. Sinapses são as “relações funcionais de contato entre as extremidades das células nervosas”. Ou seja, é o mecanismo em que os impulsos nervosos são transmitidos entre as células. Os neurônios não se tocam diretamente. Entre eles, há o espaço sinaptico em que atuam os neurotransmissores.

Entre 2 neurônios, acontece a sinapse.

Quando falta algum elemento químico da sinapse, ela não acontece. Ou acontece de maneira incompleta. A falta de acetilcolina compromete as sinapses, que acarreta na perda gradual das capacidades intelectuais.

Sendo assim, um dos princípios de tratamento da Doença de Alzheimer é aumentar a quantidade de acetilcolina disponível no cérebro. Isso é feito através da redução da atividade da enzima colinesterase, que degrada a acetilcolina. Já que não se produz quantidade suficiente, podemos fazer a acetilcolina durar por mais tempo, evitando que seja degradada pela colinesterase.

Também há um tratamento para aumentar a quantidade de colina no organismo. A colina é um precursor da acetilcolina. Acredita-se que, com maior quantidade de colina disponível, as células possam passar a produzir mais acetilcolina. Mas este tratamento não tem eficácia comprovada.

Nos próximos dias, traremos artigos sobre outros princípios do tratamento com medicamentos como terapia anti proteína Tau, uso de Memantina, aumento de fatores neurotróficos, terapia anti amiloide e disfunção mitocondrial.

Mas lembre-se: esta doença ainda não tem cura. O tratamento visa a estabilizar a evolução do quadro e a otimizar a qualidade de vida.

Conhece alguém que tem um familiar com Alzheimer? Por favor, compartilhe com ele.

 

4 Comments

  1. Boa tarde. Minha mãe tel alhzaime a 3 anos ,toma Aloís.e Epes. Toma também Queropax. Mas tenho notado que estas últimas semanas ela piorou.., está vendo coisas que n existe. -eu levo ela de 3 em 3 meses no Geriatra.mas estou pensando seriamente de voltar ao neurologista e repetir todos os exames . Principalmente a ressonância. Alguém aí tem alguma novidades p me dizer . Estou muito stressada cm toda essa situação. Minha mamãe tem 77 anos muito ativa . Ainda lava as roupinhas dela e varre uma área enorme . Assim ela sente -se útil. Mas não quis continuar na hidroginástica e nem no Pilates. Só fala em voltar p o apartamento dela em outra cidade. Sofro demais em ver minha mãezinha assim.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo