Qualidade do sono do idoso

Qualidade do sono do idoso: insônia é normal?

em Geral por

A qualidade do sono é um dos fatores que mais influenciam nossa qualidade de vida. Muitos são os fatores que influenciam o sono, inclusive a escolha do colchão e do travesseiro.

Sabe-se que o sono é composto de vários estágios, que podem ser identificados através da análise da atividade elétrica cerebral.

O conjunto de registros das ondas cerebrais durante o sono é chamado de Polissonografia. O sono de um adulto jovem e sadio pode ser dividido em ciclos com duraçõa de 70 a 100 minutos cada. E cada ciclo se repete de 4 a 5 vezes por noite. O sono então é estruturado da seguinte maneira: estágio 1, 2 (sono superficial), 3, 4, 3 (sono profundo), 2 e sono paradoxal ou REM (em que ocorrem movimentações rápidas dos olhos). Na maior parte das vezes, os ciclos são “emendados” e não acordamos na transição.

Estudos têm demonstrado que o processo de envelhecimento acarreta em modificações qualitativas e quantitativas do sono. Estas alterações podem ser percebidas (ou não) como perturbação do sono, dependendo de cada pessoa.

A maior parte dos idosos que aponta alguma perturbação do sono, queixa-se de demorar a adormecer e/ou acordar muitas vezes durante a noite. Percebem o sono com sendo “mais leve”. Além disso, existe uma tendência maior em dormir durante o dia, tirando pequenos cochilos.

Quantitativamente, há estudos feitos através de polissonografia, apontando que, a partir dos 60 anos, em média, a duração do sono passe de 6,5 horas a 8 horas para 5 a 7 horas por noite.

Embora ainda não haja um consenso na comunidade científica entre o que é “normal” e o que pode ser um distúrbio do sono, as maiores diferenças entre o sono de um adulto mais jovem e um adulto de mais de 60 anos são:

  • Diminuição da duração dos estágios 3 e 4 (de sono profundo).
  • Redução da amplitude das ondas cerebrais delta, que caracterizam o sono profundo, principalmente nos homens.
  • Aumento do estágio 1 e 2 (de sono superficial).
  • Diminuição da latência e da duração do sono REM.
  • Maior número de transições entre os estágios do sono.

A experiência do sono é individual e subjetiva. Assim, caso você esteja percebendo alterações no sono durante o envelhecimento maiores que as apontadas acima, procure um médico. Insônia não é normal! Dormir bem melhora nossa qualidade de vida.

Essas informações foram úteis? Compartilhe nosso texto!

Photo by Alex Iby on Unsplash

2 Comments

  1. Meu pai tem 87 anos e portador de Alzheimer. Ele agora dorme a manhã toda, temos muita dificuldade em tirá-lo da cama(ele Ainda anda). Quando conseguimos, ele logo volta a deitar novamente. Dai, à noite, fica levantando o tempo todo, perambulando pela casa e volta a deitar pra, logo mais, levantar novamente e assim vai.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo