idoso com ansiedade e agitação

Ansiedade e Agitação: sintomas comuns em portadores de DA.

em Demências e Alzheimer por

Ansiedade e Agitação são sintomas comuns em portadores de Alzheimer e outros tipos de demência.

Normalmente, ansiedade e agitação podem ser causadas por interações medicamentosas, condições de saúde diversas (dor, por exemplo) ou por qualquer situação que piore a capacidade de pensar do portador de DA.

Uma das conseqüências diretas da Doença de Alzheimer é o comprometimento da capacidade de absorver e entender novas informações ou estímulos. Assim, algumas situações tendem a causar mais agitação. Algumas delas são:

  • Mudar de casa – sair da casa que viveu muitos anos para viver na casa de algum filho, parente ou mesmo numa ILPI (Instituição de Longa Permanência para Idosos).
  • Mudanças no ambiente –  viagens, hospitalizações, pessoas novas em casa, etc
  • Alterações na rotina de cuidados – mudança no horário de banho, almoço, etc.
  • Percepção de ameaças e medo – um cachorro latindo no quintal de um portador de DA que tem medo de cachorro, por exemplo.
  • Cansaço por tentar entender o que lhe parece confuso.

Para prevenir ou reduzir “crises de ansiedade e agitação”, recomendamos:

  • Manter o ambiente calmo. Muitas vezes, levar o portador de DA para seu quarto ou outro ambiente da casa apreciado. Oferecer condições para que o idoso descanse com o maior nível de privacidade possível.
  • Evitar a ingestão de cafeína.
  • Evitar alterações de ambiente. Por exemplo, assistir televisão em volumes mais baixos, limitar horários das visitas, etc.
  • Monitorar o conforto do idoso com DA. Sempre oferecer água e quantidades suficientes de alimentos para evitar sede e fome. Verificar se não está com nenhuma dor. Tentar entender se as roupas são suficientemente confortáveis e estão adequadas para o clima do momento.
  • Simplificar tarefas e rotinas.
  • Garantir momentos para exercícios como caminhadas, dança, etc.
  • Ser sensível em relação a possíveis medos e frustrações por não conseguir se expressar de maneira adequada.

Lembre que o amor e o respeito fazem toda a diferença no dia-a-dia.

Há dias mais difíceis para os cuidadores. Mas, o ideal é sempre responder com calma, não apressar o idoso com DA. Tentar conversar para entender suas frustrações. Ajudá-lo a cumprir as tarefas de sua rotina diária.

 

Fonte: Alzheimer Association

5 Comments

  1. É sempre bom as informações e dicas para quem tá passando por esse problema cm algum enti querido pois, precisamos nos esforçamos para entender o portador de DA

  2. Com certeza! Esse artigo me ajudou muito no que diz respeito a ter paciência E saber respeitar o idoso com DA sem complicar mais o que pra eles é novo ou desconhecido!

    Obrigada

  3. tudo isso acontece com minha mãe!! a sindrome do entardecer foi muito esclarecedor para mim, eu nao imaginava que se tratava de um sintoma normal!!

  4. Adorei o texto,que muito me fez entender mais sobre a Demência, pois sou técnica de enfermagem,e trabalho como cuidadora em adomicilio.e a senhora que cuido tem parkson,e ela tem a síndrome do entardecer,e as vezes depois do almoço também,com esses textos pra mim foi muito esclarecedor em algumas partes de dúvidas,pois a muita agitação,e confusão,mas me identifiquei nessa área, tanto que faço um curso de capacitação na área do cuidar, abrangendo toda a área no cuidar,pra mim está sendo muito ultil e me fazendo conhecer mais esse trabalho.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo