Idosos perdem massa muscular.

A Composição do nosso corpo muda com o Envelhecimento?

em Nutrição por

A Composição Corporal muda com o tempo. A massa de gordura e a gordura visceral aumentam, enquanto a massa muscular diminui.

A Sarcopenia (perda de massa muscular) pode prejudicar significativamente a qualidade de vida do idoso ao diminuir sua mobilidade. Também aumenta o risco de quedas e altera o metabolismo. Entenda mais sobre o assunto aqui.

A Obesidade Sarcopênica é a perda de massa muscular em idosos obesos. A terapia para perda de peso melhora as funções físicas e a qualidade de vida. Reduz, nas pessoas mais idosas, as complicações clínicas associadas. Toda a redução de peso no idoso deve ser cuidadosamente acompanhada por profissional habilitado para que se evite perda de massa muscular e óssea. Deve-se usar outra medidas além da variação de peso, como antropometria ou outro instrumento. É muito importante avaliar separadamente os compartimentos corporais – massa magra e gordura.

Só a balança não serve!

Já o baixo peso corporal ou desnutrição no idoso associa uma perda de massa corporal generalizada à baixa ingestão calórica, proteica ou uma combinação de ambas. Algumas causas que levam à desnutrição incluem medicamentos e polifarmácia, depressão, decréscimo do paladar ou olfato, má saúde bucal, doenças crônicas, disfagia e outras alterações que dificultam a alimentação. Causas sociais podem incluir viver sozinho, recursos limitados, falta de transporte ou limitações para fazer compras e preparar alimentos. O consumo de etílicos e fumo prejudica ainda mais a nutrição do indivíduo. A estratégia para diminuir a deficiência calórico-proteica inclui aumento do consumo de calorias e proteínas. Ou seja, comer mais. Porém, dependendo da gravidade do quadro de desnutrição do idoso, isso deve ser feito com acompanhamento médico ou de nutricionista para se evitar a Síndrome de Realimentação.

A Sindrome de Realimentação possui uma manifestação clínica complexa. Foi descrita primeiramente em prisioneiros orientais, após a II Guerra Mundial. Quando os prisioneiros foram alimentados após períodos prolongados de jejum, desenvolveram falência cardíaca. “Caracteriza-se por alterações respiratórias, arritmias e falência cardíacas, pouco dias após sua alimentação.”

Quer saber mais sobre o assunto? Deixe um comentário!

Gostou? Compartilhe!

2 Comments

  1. a internete seria ótima se não fosse os invasores desonestos. tenho 75 anos e achei otima a publicação dos senhores, encontrei o site dos senhores procurando outras informações que não tem nada a ver com este site, o povo não é acefalo/bucefalo, porque quer, os corrruptos do palacio da alvorada e medicos cumplices dos laboratorios nos querem mal informados, hoje, eu procuro algo que mantenha meu diabetes equilibrado, mas só encontro paliativos, podem me ajudara manter o diabetes no nivel correto, não quero perder as pernas nem os olhos por causa de maus medicos,muito obrigado pela atenção

    • João, ainda precisamos investir mais em conteúdo sobre diabetes. Os melhores artigos que temos sobre o assunto são os escritos pelo Ricardo Panizza, que é Educador Físico, mestre pela UNICAMP com um trabalho sobre atividades físicas para idosos diabéticos. Vou colocar o tema “diabetes” no meu planejamento.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo