fase avançada da da na terceira idade

Cuidados na Fase Avançada da Doença de Alzheimer

em Demências e Alzheimer por

A fase avançada da Doença de Alzheimer (DA) é um momento muito difícil para os familiares mais próximos. Tanto por suas características quanto às necessidades de cuidados. Pode durar de alguns meses a muitos anos. É tão heterogênea que inspirou a criação de uma escala com vários sub-níveis de avaliação.

Portanto, é natural que os cuidados com o paciente na fase avançada da doença também sejam progressivos e intensificados integralmente.

Conforme a doença evolui, o portador vai perdendo cada vez mais capacidades cognitivas. Desta maneira, progressivamente, a pessoa vai ficando cada vez mais dependente de outras para continuar vivendo.

Sendo assim, em dado momento, este paciente precisará de cuidados durante as 24 horas do dia. Neste caso, as tarefas do cuidador são basicamente:

  • Alimentar o paciente, dando comida na boca quando necessário. Quando houver dificuldade de engolir, o cuidador deve orientar o responsável pela alimentação na família sobre um cardápio com alimentos mais macios e fáceis de deglutir. Se a dificuldade de engolir for muito severa, deve-se procurar orientação médica ou de fonoaudiólogo.
  • Hidratar o idoso dependente, oferecendo líquidos durante todo o dia.
  • Acompanhar (ou até executar) a higiene pessoal do portador de DA. Isto inclui dar banho, lavar e secar os cabelos, escovar os dentes, cortar as unhas, etc. Os cuidados no banho, dependendo do caso, podem evoluir de acompanhar o banho até dar banho no leito. Em caso de incontinência (urinária e/ ou fecal), deve-se estar atento às trocas de fraldas para evitar problemas de pele e infecções.
  • Auxiliar nas escolhas das roupas e nas trocas de roupa. Afinal, este paciente provavelmente já perdeu a capacidade de reconhecer o clima para escolher a roupa mais adequada.
  • Ajudar no deslocamento. Ou seja, ajudar a andar e posteriormente deslocar com cadeira de rodas, se necessário.

Porém, não podemos esquecer que a pessoa com Alzheimer, mesmo em fase avançada, continua sendo um ser humano.

Portanto, além de todos os cuidados fisiológicos e de saúde física, o cuidador também deve prestar atenção aos cuidados emocionais. Por mais difícil que seja a rotina de cuidados, sempre podemos colocar músicas agradáveis. Especialmente aquelas de que o paciente gostava. Olhar juntos os álbuns de fotografias. Ler jornais, revistas, trechos de livros. Preparar a comida que costumava ser a preferida. Tocar as mãos com carinho, abraçar…

 

4 Comments

  1. Eu cuido da minha mãe com todo o amor que tenho, todo o carinho que ela me deu eu estou devolvendo a ela e ela responde com reciprocidade. ..ficou mais carinhosa ainda após ser cometida por essa doença, eu procuro tudo que possa me auxiliar e para o bem estár dela também. ..e o melhor caminho para te reestruturar a cada dia é Deus. .

  2. Minha mãe tem 99 anos. Tem Alzeimer, Demência Senil e Parkinson. Cuido dela como se cuida de uma flor. Ela é o meu amor. Quanto mais Cuido, mas amo cuidar.

  3. Cuido de minha mãe 77 anos ,alhazaimer bastante avançado 100% dependente, alimentação via gastro já a 3 anos ainda mamão, abacate faço cozido manga e maçã e batido no liquidificador e dou o chocolate que tanto gosta (quando se fala o chocolate ela abre os olhos)fico tão feliz com isto ,também tenho alguns item de emergência oximetro, inalado,aparelho de pressão e termômetro,cama hospitalar ,colchao de ar etc .Adotei as Chuquinha para tomar leitinho e suco . (E dois relógio despertador para a madrugada) durmo do lado dela e as vezes segurando a mão dela.Deus ilumina nosso caminho todos os dias.

  4. Minha mãe foi diagnosticada há um ano e 6 meses. Ela dava muitos sinais, mas desconhecia o Alzheimer.
    No início foram dias muito difíceis para mim e meus irmãos. Fiquei perdida pq cuidava dela sozinha.
    Só que as coisas foram se agravando por ser diabética e hipertensa tudo piora consideravelmente. Agora está com arritmia e ficamos cada dia mais tensos com a saúde dela. E um ulcera que acaba prejudicando o andar, e o coração que assusta, a glicose q sobe e despenca do nada.
    Mas, fico feliz pq eu, meu esposo e meus irmãos nos esforçamos muito para dar a ela uma vida de amor mto amor e qualidade. Qlq sinal de alteração vamos para emergência! Já evitamos mta coisa por nos anteciparmos. E uma fase que me dói mto, me deixa incapaz as vezes. Não suporto ver ela chorar por falta dos pais, por sentir uma dor e gritar pela mãe, quando me chama de filinha amada. Na medida do possível procuro fazer os dias da minha mãe os melhores! Escondo o que sinto, meu cansaço pelas noites mal dormidas. Mas, fazer ela sorrir me da forças para seguir em frente, ver ela dançar quando canto mesmo com mta dificuldade. Quando falo que ela precisa me ajudar a trocar a fralda e ela se esforça para eu não pegar peso, quando dou o café e ela sempre pergunta se já tomei o meu, e quando falo que vou tomar depois que terminar c ela fica toda hora pedindo p eu tomar meu café. E difícil a vida de um cuidador D.A, mas a vida do paciente e mto mais, pois eles ficam totalmente dependentes, não tem consciência do que fazem. Vivo um dia de cada vez, hoje meu dia se encerra e vou deitar para começar outro amanhã sem saber o que me espera, mas com a certeza que tenho mto amor e paciência para dedicar a minha amada mãe.
    Força há todos os cuidadores, que Deus os abençoe, fortaleça para cuidar de pessoas tão especiais.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo