Idoso com Disfagia

Disfagia: quando engolir torna-se um desafio

em Fonoaudiologia por

Sabemos que o envelhecimento humano envolve mudanças estruturais, funcionais e neurais. Tais alterações podem comprometer órgãos e funções diversas. Uma das funções que se destaca é a deglutição.

A Disfagia é o nome dado aos problemas na hora de engolir.

O ato de engolir exige a integridade de um grupo de estruturas interdependentes, envolvendo ações mecânicas e reflexas, de caráter neuromuscular, que depende de um sistema dinâmico e sincrônico. Através deste processo complexo, o alimento deve ser conduzido da boca até o estômago de forma segura. Ou seja, sem permitir a entrada do material ingerido em vias aéreas.

A Disfagia se configura numa falha nesse processo. Pode ocorrer devido a alterações resultantes de doenças neurológicas, como Doença de Parkinson, Acidente Vascular Encefálico (AVE), Doença de Alzheimer e Miastenia Gravis. Também pode resultar de alterações estruturais, em decorrência de tumores e traumas. Quando ocorre simplesmente por modificações inerentes ao processo de envelhecimento, chama-se Presbifagia.

As complicações decorrentes da disfagia envolvem risco de desnutrição, desidratação, complicações respiratórias e pneumonia aspirativa. Considerando que o momento da refeição deve representar um momento prazeroso, de socialização e interação familiar, a Disfagia também tem impactos sociais e emocionais. Quando engolir se torna um desafio, muitas vezes o idoso pode preferir se isolar, o que pode comprometer o envelhecimento saudável.

Mas o que fazer quando isso acontecer?

Se estivermos falando de um idoso cognitivamente saudável, deve-se procurar um Fonoaudiólogo. Este profissional da saúde pode ajudar o idoso a aprender a engolir novamente.

Quando estamos falando de um portador de doença degenerativa, o ideal é ter acompanhamento de uma equipe multi-disciplinar de saúde, com médico, fonoaudiólogo e nutricionista.

Veja aqui, 6 receitas de sobremesas cremosas e fáceis de engolir.

De maneira simplificada, seguem alguns cuidados a serem tomados com o objetivo de ajudar na alimentação do idoso com Disfagia (não estamos falando em tratamento para reverter o quadro).

  • Ambiente e Postura: oferecer os alimentos em local tranquilo e sem distrações. Idealmente, o idoso deve ficar sentado com leve inclinação da cabeça para frente e o cuidador deve estar sentado na mesma altura.
  • Adaptação da Dieta:
    • oferecer refeições menores mais vezes por dia.
    • optar por alimentos leves e macios ou pastosos.
    • evitar líquidos “finos” como chás pois o risco de aspiração é maior.
    • evitar alimentos duros, arenosos e secos (bolacha água e sal, farofa, etc)
  • Forma de Alimentar: sentir a colher na língua estimula o reflexo da deglutição. Por isso, prefira usar colheres a seringas. Sempre oferecer quantidades pequenas e evitar conversar durante a alimentação.

Em casos extremos, deve-se recorrer a vias alternativas de alimentação, como sonda naso-gástrica, por exemplo. Mas estes casos obrigatoriamente devem ser avaliados por um médico e um nutricionista.

Este artigo foi importante para você? Ajude outras pessoas compartilhando!

*Fonte dos primeiros parágrafos: Journal of Aging and Innovation.

18 Comments

    • Foi muito útil.
      Estou cuidando de minha mãe
      Que tem 91 anos. Ela não tem nem uma doença importante. Há mais ou menos uns cinco anos ela teve AVE
      Mas não teve nenhuma sequela. Agora há mais.ou menos uns 6 meses Ela vem apresentando pequenos encasgos, como se o alimento tivesse dificuldade em chegar ao estômago.
      Será que isso pode ser em razão do AVE que ela sofreu?

  1. Minha mãe tem Alzheimer e está nessa fase de não querer mais se alimentar. Estava me sentindo perdida e com esses artigos estou conseguindo lidar melhor com tudo isso.
    Obrigada.
    Obs. :. Seria de grande valia de como ajudar o cuidador que adoece com tudo isso.

      • Eu não sabia mais o que fazer, minha mãe está desse jeito,ficava o dia inteiro tentando fazer ela comer e não sabia nem conhecia, pensava q era pirasa foi aí então q me falaram e levei ao médico e ela vai fazer uma undoscopia, Mais aí comesei a dá tudo mole batido no liquidificador e com a ajuda de Deus ela tá comendo, não como antes mais tá se alimentando melhor.

  2. O meu pai teve um AVC quarta feira e deste de então não consegui bebê água e nem um outro tipo de líquido,mais alguém já passou por isto pode me ajuda?

  3. O meu pai teve um AVC quarta feira e deste de então não consegui bebê água e nem um outro tipo de líquido,mais alguém já passou por isto pode me ajuda?conhece algum medicamento

  4. Minha mãe está com Alzheimer e está com dificuldade de se alimentar. A fono disse que ela apresenta pouco vontade e que provavelmente não volte mais a comer. Bem, será que dar uma chupeta, que é um estímulo pra deglutição Tb não seria viável?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo