Escalas e Alzheimer

Escalas de Gravidade da Doença de Alzheimer

em Demências e Alzheimer por

Quando temos um familiar com Doença de Alzheimer, surgem várias dúvidas. Grande parte delas, está relacionada ao estágio em que o paciente se encontra e como será a evolução da doença.

Para responder estas perguntas de maneira mais objetiva, foram criadas Escalas de Gravidade.

Na Doença de Alzheimer, o comprometimento funcional é crescente e surgem alterações de comportamento. A “Global Deterioration Scale (GDS)” é uma escala simples que ajuda a entender em que estágio o paciente está e o que se pode esperar no futuro. Veja abaixo:

Estágio Funcionalidade Alguns Sintomas Sinais de Demência Duração
1 Normal Não há Não há NA
2 Declínio Muito Leve Lapsos de memória, esquecimento de objetos Não são detectados. NA
3 Declínio Leve Pequenas alterações de concentração, dificuldades de encontrar nomes ou palavras, esquecimento rápido de informações recentes, aumento de dificuldade de planejamento ou organização Pode ser indentificados sinais de DA em algumas pessoas. 7 anos em média
4 Declínio Moderado Perda de capacidade de realizar operações matemáticas mentais, esquecimento de fatos da história pessoal, isolamento social Evidentes em entrevista médica 2 anos em média
5 Declínio Moderadamente Grave Lacunas na memória e pensamentos, dificuldade de recordar o próprio endereço, dificuldades em orientação espacial e temporal (que dia é hoje) 2 anos em média
6 Declínio Grave Alterações de personalidade e de sono, dificuldade crescente de controle urinário e fecal, necessita de auxílio em atividades diárias como para vestir-se. Pode se perder na rua, sofrer delírio ou compulsões, tem dificuldades com sua própria história. 2,5 anos em média
7 Declínio Muito Grave Perda de habilidade de responder ao ambiente. Perda de controle motor e capacidade de conversação. Totalmente dependente para realizar atividades diárias como se alimentar. Podem perder a capacidade de sorrir, sentar sem apoio. Dificuldade de engolir. 2,5 anos em média

A escala FAST, desenvolvida por Reisberg, também possui 7 estágios. Veja aqui.

Há outras escalas muito utilizadas, como a Clinical Dementia Rating scale (CDR) e o Score Clínico de Demência. Ambas são questionários aplicados por um profissional da saúde e respondidos pelo principal cuidador que classifica cada questão em de 0 a 3 (0, 0.5, 1, 2 ou 3).

Outra escala interessante é o Questionário das Atividades Funcionais. É um instrumento que avalia a execução das atividades diárias e pode identificar perdas de funcionalidade antes dos testes cognitivos.

A escala de Lawton e Brody avalia a capacidade de executar atividades complexas como usar o telefone, fazer compras, preparar refeições, etc.

Também é possível avaliar a progressão da DA através de exames de imagem. Tomografias ou ressonâncias podem detectar atrofias importantes. PET ou SPECT podem igualmente revelar alterações no córtex cerebral.

Cada equipe médica tem liberdade para usar os instrumentos que entende ser o mais adequado para cada caso. Procure um Geriatra.

1 Comment

  1. Quero fazer parte do grupo , pois preciso de ajuda para cuidar melhor do meu pai . Tem sido muito difícil lidar com esta realidade , hoje ele tem 86 anos e a 08 anos é portador Alzheimer , considero assim uma regressão , ou seja hoje ele tem 05 anos e requer todos os cuidados como uma criança de 05 anos. Enfim é preciso ter compaixão . A verdade é que nunca estamos preparamos , mas faço o que posso . Grande abraço.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2016 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo