Idoso pode substituir o leite

Leite e Laticínios realmente fazem mal à saúde?

em Nutrição por

Hoje em dia ouvimos muito sobre a intolerância à lactose. Falam inclusive que laticínios são produtos que nós, humanos adultos, não temos a capacidade de digerir e processar. Por isso deveríamos retirar leite e derivados da nossa dieta. Mas será que tudo isso é verdade?

Açúcar do Leite: Lactose

A lactose é o componente sólido mais presente no leite. Ela é considerada o açúcar do leite, já que confere a ele um sabor levemente adocicado, quando ingerido puro. Quimicamente, é um dissacarídeo formado pela união de dois monossacarídeos: uma molécula de glicose e uma de galactose.

Para fazer uso dessa fonte energética é preciso digerir essa molécula. Ou seja, quebrar esse dissacarídeo com uma enzima chamada LACTASE, muito presente no metabolismo dos recém-nascidos.

Nos humanos, a lactase costuma ser amplamente produzida até os dois anos de idade, chegando praticamente a zerar a partir dos nove anos. A intolerância à lactose afeta as pessoas que não produzem mais a lactase. A falta dessa enzima impede a degradação da lactose em unidades individuais de glicose e galactose. Mas a redução dessa produção de lactase pelos humanos é um fenômeno saudável. Trata-se de um sinal de maturidade metabólica.

Quando a lactose chega ao intestino grosso sem ter sido degradada, ela é fermentada pelas bactérias ali presentes, desencadeando sintomas como: flatulências, gases e distenção abdominal, dor de estômago, cólica, vômitos, diarreia, dor de cabeça, enxaqueca, erupções da pele e até asma.

Proteínas do Leite: Caseína, Alfa e Beta Lactoalbumina

A alergia ao leite da vaca também pode se dar pela presença de proteínas do leite de vaca como a proteína do coalho (caseína) e às proteínas do soro (alfa-lactoalbumina e beta-lactoglobulina). Os sintomas mais comuns em crianças e adultos são: vômito, diarreia, refluxo, assaduras, urticárias, sangue ou muco nas fezes, irritabilidade, baixo ganho de peso, inflamação nos intestinos, coceira nos olhos, conjuntivite, rinite, sinusite, otite, asma, tosse.

Esses sinais e sintomas estão cada vez mais presentes principalmente em crianças. Por isso quando perceber algum tipo de reação alérgica não deixe de procurar orientação nutricional.

Como saber se alguém pode consumir Leite e Derivados?

Caso você conheça alguém com os sintomas relacionados acima, sugira uma consulta com um Médico ou Nutricionista. Estes profissionais poderão avaliar os sintomas e tomar uma conduta em relação a retirar ou diminuir estes produtos da dieta. Mas, devemos sempre lembrar que laticínios são importantes fontes de cálcio e proteína.

É importante informar que, durante o processo de fermentação do leite para a produção de queijos e iogurtes, a maior parte da lactose é digerida pelas bactérias do fermento lácteo. Portanto, os laticinios, muitas vezes, contém quantidades mínimas de lactose. O contrário acontece com as proteínas do leite. Durante a produção, na maioria das vezes, acontece uma concentração das proteínas do leite e outros nutrientes, como o cálcio. Isso significa que os derivados de leite costumam ter menos lactose e mais cálcio, caseína e alfa e beta lactoalbuminas que o leite “in natura”.

Origem do Leite

A maior parte do Leite disponível para consumo em supermercados é produzido através de ordenha 100% mecânica. Este processo pode causar infecções no animal. Dependendo da conduta do produtor, a vaca recebe altas doses de antibióticos, que podem “contaminar” o leite. Além disso, se o processo não for cuidadoso, o produto pode ser contaminado com urina, sangue e até pus das vacas. Nestes casos, são usados aditivos químicos para mascarar a qualidade inferior do produto.

Por isso, o ideal seria ter acesso ao leite orgânico. Porém, como isso não é possível para grande parte da população, é muito importante escolher marcas confiáveis no mercado tanto de leite quanto de derivados.

 

Substituindo o Leite em nossa dieta

Vale ressaltar que, para se ter uma eficiente fixação do cálcio nos ossos, é necessário magnésio. E isso é possível através da ingestão de fontes de cálcio de origem vegetal como: folhas verdes escuras, frutas e vegetais. Não podemos esquecer que a Vitamina D, que é produzida pelo nosso corpo através do banho de sol diário, é essencial a este processo de absorção do cálcio.

– Aprenda a preparar leites, vitaminas, iogurtes, queijos, cremes e manteigas de origem vegetal, caseiros, sem aditivos nem processos industrializados.

– tome sol para metabolizar a vitamina D.

– mantenha-se ativo, pratique exercícios. Saiba quais são os exercícios mais indicados para combater a Osteoporose.

– coma mais frutas, vegetais, sementes e leguminosas para suprir as necessidades de vitaminas, minerais, proteínas.

Segue abaixo receitas  de leite, queijo e iogurte de origem vegetal !!

 

RECEITA DE LEITE DE AMÊNDOAS (ou gergelim)

 Ingredientes:

1 xícara de amêndoas crua sem sal

3 colheres de agave (adoçante) OU melado

1 colher de chá de essência de baunilha (ou 1 colher de sobremesa de açúcar baunilhado orgânico)

 Opcional:

600 ml de água de coco

3 colheres de sopa de coco ralado (de preferência fresco)

Modo de preparo:

Lave as amêndoas e deixe de molho por 12 horas. Após o demolho lave bem as amêndoas. Bata a amêndoa com 800 ml de água. Coe com o voal ou peneira. Reserve o resíduo da amêndoa para enriquecer pães e bolos. O leite está pronto e com sabor bem neutro. Com o leite extraído da amêndoa, retorne ao liquidificador com o agave e a baunilha. Bata novamente e experimente o sabor. Se precisar faça ajustes. O leite pode ser armazenado em geladeira por 3 dias.

Opção: Se você quiser aromatizar o leite, bata com água de coco e um pouco de coco ralado. Adicione o mel ou agave e se quiser a baunilha também. Você terá outra versão para o leite.

QUEIJO FRESCO DE CASTANHAS

Ingredientes:

1 xícara de castanha crua (caju, macadamia, amendoim sem casca, semente de girassol) – hidratada por 8 horas.

1 colher de sopa de suco de limão

5 g de agar-agar (gelatina de alga)

200 ml de água para dissolver o agar agar

1 colher de sobremesa de levedura nutricional

½ xícara de kefir de água (ou rejuvelac – fermentado de trigo)

1 colher de chá de sal marinho

Modo de preparo:

Dissolva o agar-agar na água e leve ao fogo por 3 minuto, mexendo sempre. Desligue e deixe esfriar até que a temperatura fique suportável na pele sem queimar. Enquanto esfria, bata no liquidificador/processador as castanhas sem água, o suco de limão, o kefir, o sal e a levedura, até obter um creme liso. Acrescente o agar-agar derretido e misture rapidamente no pulsar. Transfira rapidamente para uma forma e deixe na geladeira por uns 20 – 30 minutos, ou até ficar firme.

IOGURTE VEGANO

Ingredientes:

1 litros de leite de amêndoas (ou outro leite vegetal)

1 colher de chá de agar-agar (3 – 4 g)

1 colher de sopa de amido de milho

1 envelope de fermento para iogurte

Modo de preparo:

Pre aqueça o forno a 50 graus. Aqueça 1 litro de leite de amêndoas ou outro leite vegetal,  o agar agar e o amido de milho até 90 graus. Retire um pouco antes de ferver. Deixe esfriar até 45 graus, adicione o fermento para iogurte e misture bem. Despeje em potes de vidro, desligue o forno e coloque os potes abertos para fermentar por 8 horas. Não abra o forno durante o processo !

 

Veja a quantidade de cálcio nos alimentos:

Alimentos fontes de Calcio
Alimento (quantidade em 100 g) mg de cálcio presente
Leite integral 114
Leite desnatado 124
Iogurte desnatado 120
Queijo minas frescal 685
Amendoas 254
Avela 287
Gergelim 417
Semente de girassol 117
Tahine (pasta de gergelim) 960
Feijão branco 170
Grão de bico 58
Feijão Azuki 252
Lentilha 107
Tofu 230
Quinoa grão 112
Nabo 56
Quiabo 62
Mostarda folha 221
Couve manteiga 330
Brócolos cru 400
Brócolos folhas 513
Beterraba crua 32
Espinafre 95
Acelga 112
Broto de feijão 52
Broto de abobora 149
Abóbora moranga 31
Aveia flocos instantânea 392
Açúcar mascavo 51
Melado 519

1 Comment

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© Copyright 2017 - Idosos.com.br - Portal de notícias para pessoas acima de 60 anos.
Ir para Topo